Resenha: "Presságio" de Leornardo Barros

15 de dez. de 2012

Presságio
Alice tem 26 anos e, desde a adolescência, é atormentada por presságios. Desacreditada por psiquiatras, ela é considerada psicótica, até que uma de suas visões a possibilita desvendar um misterioso homicídio. A polícia atribui a autoria do crime ao Beato Judas, um assassino serial de freiras, mas a descrição do suspeito não se parece em nada com o homem que ela viu em sua premonição. Agora, Alice terá de correr contra o tempo para provar que não é louca e para evitar que o assassino faça uma nova vítima. Suspense, misticismo e sensualidade se misturam neste fantástico thriller policial que parece ter a capacidade sobrenatural de manter seus leitores alucinados da primeira à última página.

Suspense sempre foi um dos meus temas preferidos para leitura, e para assistir filme. Também sou apaixonado por romance policial, mas esse livro não tem nada de romance em. Suspense policial, tinha um junção melhor que essa? Quando percebi já tinha terminado o livro, é rápido e viciante esse livro. Comecei a ler no domingo a noite, e na mesma noite já tinha acabado. Eu adorei, foi uma trama diferente do que eu já havia lido. Leo Barros, ele deu uma inovada e tanto, ele misturou prenúncio — quando a pessoa pode ver o futuro — com a realidade.

Leonardo escreve de modo bem simples e compreensível, foi uma leitura muito revelante e confortável. Esse é o quinto livro de autor, e gostei bastante. Estou muito afim de ler os outros — clique aqui para ver — que parecem ter temáticas muito interessantes. Enfim, o autor criou a personagem aos meu olhos, muito boa. Alice, eu adorei a personalidade dela, ela tem o dom de ver o futuro quando sente prazer (orgasmo). Numa das noites, em uma festa, Alice tem um presságio, visão de alguém mantando a Freira Nua — o motivo de freira nua, é a fantasia que a vítima usava no dia que foi morta, óbvio —, porém a polícia pega a pessoa errada. Agora a estupenda Alice vai fazer de tudo para provar a inocência do acusado e colocar o verdadeiro malfeitor atrás das grades, impedindo que este faça mais uma vítima. 
"As vezes, o ódio pode transformar o mais fraco dos homens em um monstro. É comum que vejamos loucos aparentemente desprovidos de força física que se tornam poderosos sob efeito de fúria."
Surpreendente, fique surpreso várias vezes quando ''devorava'' as páginas do livro. Porque eu sempre estava tentando deduzir, e para mim era uma coisa deduzível só que eu sempre estava enganado e toda vez que isso acontecia eu ficava meio bobo, e queria ler muito mais. Não gostei, como o livro acabou tão rápido. Adorei o assunto abordado, e o modo como foi descrito pelo autor. 

O que achei negativo do livro foi, o fato de Leonardo não ter abusado da localidade. Creio que seria bem legal, imaginar um lugar real onde a estória tivesse acontecido. Por exemplo, uma cidade pacata, pequena. Tirando essa fato é um livro muito bom para se ler. Achei uma coisa bem interessante é que o autor usa várias alegorias da área da medicina, já que este trabalha no ramo, achei interessante. 
"Só quem ama de verdade é a criança. Pra se amar é necessário inocência. Depois que cresce o amor dá lugar ao interesse."
Leiam! Vale muito a pena. Fiquei em dúvida ao dar nota quatro porque como já disse é um livro muito bom, mas quanto há isso ainda estou revendo os conceitos. Mas por enquanto vou deixar em quatro, mas é um livro que vale muito a pena ser lido. Por ser algo que acontece muito no dia-a-dia, como homicídios, erros polícias, confusões.
 
a vida dentro | © 2012 – 2020