Resenha: Edissa

24 de jan. de 2013
Edissa
Paul Law
Publicação própria
136 páginas

Em "Edissa" você será transportado para um mundo de fantasia onde coisas inexplicáveis acontecem e a leitura te prende do começo ao fim. No mesmo estilo de Ester, você acompanhará Edissa em sua jornada em busca de algo que parece impossivel de se conseguir. Muitas reviravoltas, amigos, inimigos e sentimentos desbravados depois, uma lição ficará pra sempre em você.




Este livro é totalmente inovador, diferente. É uma leitura leve e gostosa. Foi um dos livros lidos em 2012 que eu mais gostei, apesar do livro ser bem fininho. Foi demonstrado um grande potencial do autor ao escrever o livro, também para usar palavras simples para dar grandes significados.

Edissa é uma mulher arrependida de algo que fez, com isso ela recebeu uma punição — como punição ficou doente, essa doença eram feridas por todo o corpo. Certo dia, porque sempre tem um dia, um homem "aparentemente" bom, apareceu para ela afirmando que daria a ela a solução para acabar com suas feridas, cura-la. Como as dores eram tantas, ela apenas foi atrás do homem misterioso. Mas sabemos que nada cai do céu, e esse homem ele era o rei Remorso, um rei muito mal, que prendia todas as pessoas arrependidas. Dentro do sue novo "lar" Edissa conheceu Joana Cospe Facas, que por coincidência também foi amaldiçoada, e a cada palavra dita por ela, como o próprio nome já diz, ela cospe uma faca.

Cansadas de tanto sofrimento dentro daquele presidio as duas amigos tentam fujir, mas apenas Edissa consegue,  Joana leva um tiro, em seu último grito cospe uma última face, aliás, uma espada, a mais bela e única vista em todo o universo. Essa é a espada que simboliza o arrependimento de Joana, e Edissa tem de entregar a Ádria para que a maldição de sua amiga possa ser cessada. Com isso inicia-se a fantástica estória, onde ela vai buscar o perdão encontra várias pessoas que estão dispostas a ajuda-la e a também prejudica-la. Mas acima de tudo ela conhece pessoas boas, felizes, ela conhece o amor. 

Além de tudo o livro chega a ser muito cômico, é um livro divertidíssimo. Que além de trazer sorrisos bobos também trás ótimas reflexões sobre a vida, e creio que esteja certo que cada linha do livro. Acho que devemos sempre buscar o perdão e perdoar.  

Ao ler notava-se partes infantis, juvenis e adultas durante os capítulos. Para alguns parece ser bobo, mas é uma leitura deliciosa e prazerosa para todas as faixa etárias;. Uma coisa fico triste é por Paul não ter encontrado uma editora para publicar este belíssimo livro, mas estou torcendo para que seja encontrada uma editora com olhas que valorizam este trabalho!

É um livro que todos devem ler, como já dito é um livro delicioso e rápido para se ler. Que trás uma reflexão sobre nossas atitudes no dia a dia. Leia! Além de tudo que já falei o livro ele é bastante trabalhado desde a capa até os números das páginas, cada capitulo tem umas folhas:

[P02031200156.jpg]

 
a vida dentro | © 2012 – 2020