menu
8 de fev de 2017

Yang


E você vem com seu amor, que todo dia é diferente. Você tem uma forma de reinventar o amor e me deixar ultrapassado, me deixa sem jeito, sem fôlego, sem dormir. E com esse amor parece que o meu desastre não tem importância, porque no seu abraço me enlaço, me derreto e me perco. E então você me roda – e eu amo quando você me roda. Sinto um vento, um sopro de que, se eu estiver ao seu lado, tudo ficará bem. Você é meu apaziguador, minha balança, meu ying.

Gosto da sua maneira peculiar de coçar o nariz no meu pescoço, de afogar seus olhos no meu e faz com que me torne único. Admiro seus dentes grandes quando esboçam um sorriso envolto num cheiro de menta, eucalipto e pimenta. Você me tira do chão, me põe nas nuvens e não percebe isso, porque estou apenas sorrindo por fora enquanto você bagunça tudo por dentro.

Me apaixono novamente, como naquele filme onde a mulher tem perda de memória e se apaixona todos os dias por seu marido. Mas eu e ela temos um diferencial, eu não esqueço o ontem e posso afirmar que todos os dias me apaixono mais, porque você é brasa, chama e movimento. E eu já não tenho mais medo de me queimar.

04022017.

Um comentário:

  1. Oe!
    UAU! Essa é a minha madrugada de sorte! Já li tanto texto bom que tô quase em ressaca literária hahaha Você escreve muito!
    Beijos
    Se Esse Mundo Fosse Meu

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial