menu
4 de fev de 2017

Ser gay, é sim, escolha

 
Eu vou ser sincero: não é mentira, ser gay é uma escolha. Não passa, sério, de uma escolha entre beijar homens ou mulheres. É simples. Somos pessoas que acordam cedo todos os dias e sai para trabalhar e pagar as contas no final do mês, custear nossa felicidade. Somos pessoas ora triste, ora estressadas, ora felizes, ora insuportáveis, ora como você a quem lê esse texto. 

E então escolhemos ser gay. Não por diversão, porque  não é divertido correr o risco de pessoas que você ama e admira virar as costas para você. Não por um estilo de vida, para ser deslocado ou ser afeminado. Não escolhemos ser gay para ouvir comentários pesados, ser taxado como doentes e com "uma fase ruim das nossas vidas". Escolhermos ser gay, porque sempre houve uma voz dentro de nós que dizia: a escolha é sua, a liberdade ou a prisão. 


Acredite, primeiramente, escolhemos a segunda opção, porque é mais sucessiva e mais fácil calar o próprio desejo, a própria vontade. Passamos a observar aquelas pessoas que tivemos medo de afastar serem felizes, se apaixonar por alguém que se identifica e ficarmos ali, de lado, não se abrindo para quem realmente somos. Porque primeiro escolhemos nossos amigos, familiares; escolhemos não magoar ninguém, mas, infelizmente, magoámos a nós mesmos, sofremos calados e um dia, assim, de repente escolhemos ser gay, mas não apenas um gay, não o gay reprimido que ninguém conhece, escolhemos ser alguém que veio do berço - e talvez, pai, mãe, amiga, você pense que isso é errado, mas errado mesmo é a posse do meu corpo e dos meus desejos.  E eu me torno gay todos os dias. E eu escolho ser gay todos os dias, porque uma coisa é certa, eu tenho o poder de escolher o que eu quero ser e como vou ser. 

E se eu pudesse escolher se em outra vida ser gay ou não, é óbvio que escolheria nascer novamente assim, normal. Gay. Gostando do mesmo sexo, quebrando uma regra simples e que não deveria afetar a vida de ninguém. Ser gay, é sim, uma escolha. É a escolha de ser feliz ou não, porque não há nada que pague a liberdade, a felicidade de ser quem nasceu para ser.

3 comentários:

  1. Com esse título no meu feed de leitura eu quase tive um surto e já estava preparando o textão e a armadura. Terminei o texto com um sorriso no rosto. Feliz pela simplicidade e o encanto que você deixou registrado através de palavras. No fundo, é só isso que você escreveu, ser feliz.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir
  2. "E se eu pudesse escolher se em outra vida ser gay ou não, é óbvio que escolheria nascer novamente assim, normal. Gay." Eu amei fortemente este post e já compartilhei porque no final, a vida é uma escolha e o importante é escolher o que nos faz plenamente feliz.

    Beijão,
    Quase Mineira

    ResponderExcluir
  3. "escolheria nascer novamente assim, normal. Gay."
    Isso entrou forte na minha cabeça.
    Lindo texto, lindas fotos.

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial