menu
16 de fev de 2018

Uma carta sobre metas


De alguns dias para cá tenho refletido sobre algumas coisas, como ter me formado, estar finalizando mais um curso que me dediquei por anos, por estar entrando em uma nova etapa da minha vida, a de ser adulto. A de realmente ter compromisso por não ser mais estagiário, não que eu faltasse com, mas era mais leve. Ser adulto acho que nunca esteve entre minhas metas, de repente me tornei e nem percebi qual rápido chegou, ainda que me comportando como menino, ainda que não vista roupas sociais.

Diante disso, percebi que muitas metas não foram alcançadas durante todos esses anos, algumas esqueci e outras ainda continuam numa lista inconstante para serem feitas, porque acredito que haverá como cumpri-las, mesmo que menino, mesmo que adulto. Sou feliz pelas metas não alcançadas, porque pude perceber que alguma coisas realmente não faziam parte de mim, que o esforço não valeria a pena. Porém, felizmente, outras metas foram atingidas e; metas que nem eram metas foram criadas. A cada nova conquista o dobro para se conquistar, é como diz minha amiga Dilma "quando alcançar a meta, dobraremos a meta". Assim tem acontecido, uma vida cheia de vontades e quereres.

E isso tem me motivado cada dia mais, cada vez mais atividades para serem riscadas, sonhos a serem realizados e vontades alcançadas. Mas pode ser que não dê, não dê para riscar nunca. Mas não curta tentar, certo?

Uma lista (pessoal) de metas para esse ano:

ㅤ• Ser mais gentil.
ㅤ• Escrever mais sobre pessoas.
ㅤ• Saber me expressar melhor.
ㅤ• Não gaguejar.
ㅤ• Aprender a tocar guitarra.
ㅤ• Fotografar mais

Cartas é um projeto para sair da zona de conforto que fiz juntamente com a Karol, caso sinta vontade de conhecer as outras cartas escritas basta clicar aqui.

5 comentários:

  1. Amo metas, amei seu texto e me identifiquei 200% com ele! Talvez realmente a gente não deva se lamentar por todas as metas que não foram alcançadas... muitas vezes elas não fazem parte de quem somos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acredito que alguma coisas não acontecem e acontecem por algum motivo, será que as metas que não se concretizaram não foi para moldar nós mesmos?

      Excluir
  2. Oi, Igor, tudo bem? Que saudade de vir aqui <3
    A Karol me falou que você reviveram as cartas e eu tô muito feliz *-* Quero muito voltar a me envolver com esse projeto, senti saudade dele em 2017.

    Que ótimo que você também se formou (eu acabei de me formar também haha). Eu acho que nunca me encarei como estagiária, especialmente porque a equipe com a qual eu trabalhei nunca me viu assim. Confesso que não me sinto adulta, mas é bom me sentir preparada para novas coisas, para novos riscos, sabe? Espero que você esteja feliz <3

    P.S.: meu deus, que saudade das suas fotos <3

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vamos participar do projeto? super amaria sua participação!

      Estou muito feliz, mas nem consigo acreditar ainda que sou "adulto". hahahahaha

      saudades de você aqui <3

      Excluir
  3. Ahhhh, Igor. Estou amando esse projeto szsz

    É engraçado como fazemos tantas metas mas não temos a meta de crescer, né? É algo que a gente sabe que vai acontecer mas nunca estamos preparados, e quando percebemos, puf, já aconteceu.

    Nunca tinha pensado por esse lado, mas agora que você falou, realmente, algumas metas devem não ser realizadas porque não eram pra ser. Talvez até a nossa procrastinação saiba escolher com o que devemos gastar o tempo rsrs.

    Parabéns por ter se formado <3 muuuuitas coisas ainda estão por vir.

    Beijos,
    Cupcakeland

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial