Resenha: A Lenda de Högni - O Cinturão de Adhara

4 de fev. de 2013

Autor: Willian Donadon
Editora: Novos Talentos da Lit. Brasileira
ISBN: 9788576795414 
Ano: 2011 
Páginas: 304 
Série: A lenda de Högni 
Volume: 1

É sempre receoso entrar em um mundo desconhecido, não completamente, pois um pedaço da história se trata na Terra. Willian manipula as palavras das formas mais cabíveis e ingênuas possíveis. As cenas mais mirabolantes criadas por ele são fantásticas e não deixam a desejar.

Em meio a mitologia gregoriana o autor foi capaz de introduzir romance e personagens exteriores (secundários), da forma mais leve e compreensível.  Narrado em terceira pessoa, um jovem com sua vida super tranquila  simples e normal. Fazendo suas atividades monótonas diárias. Só que tudo está prestes a mudar quando este é morto no mundo terrestre e passa de uma vida melhor, opa, ele não passa para uma vida melhor. Agora em um novo mundo ele terá que lutar para salvar a Terra e o Mundo Divino (Mundo dos Deuses). Nas idas e vindas do personagem em meio a tanta ação é impossível não gostar do enredo, dos personagens, das cenas. 

Não dando, mas querendo dar spoilers. O livro trouxe umas duas ou três mitologias que eu não conhecia. E é bastante importante destacar que no livro observa-se os deuses: Héstia, Zeus, Hefesto entre outros são também diferentes, são mais legais. Willian creio que na dissertação do livro ele meio que brinca com os personagens e sempre dando um encaixe perfeito de capitulo à capitulo. 


Assim como a grande maioria dos livros, o livro possui alguns errinhos, que passam despercebidos. Quanto ao  trabalho da capa, eu sou a favor. Mas não é todo mundo, nem mesmo o autor gostou, já que vai um pouco contra o que é condizente no livro, o que é verdade. Na capa parece ser uma espada, mas não é, é uma chapa metálica (não vou conseguir explicar), mas mesmo com esses dois fatores não é capaz de estragar a boa  e construtiva leitura do livro. 


É uma obra ótima para um primeiro livro e, existe pessoas com dons para usar palavras como Donadon. O livro é um livro para pessoas, assim como eu, que gosta de cenas de lutas, mistérios, e logicamente mitologias. E mais uma vez fico grato aos novos e experientes (para não dizer velhos) autores brasileiros, pois sim, a literatura nacional está cada vez melhor e cada vez mais visível. 
 
a vida dentro | © 2012 – 2020