Resenha: Charlotte Street

16 de dez. de 2012
Danny Wallace
Editora Novo Conceito, 2012 
400 páginas
imageimageimageimage
Tudo começa com uma garota… (porque sim, sempre há uma garota…) Jason Priestley acabou de vê-la. Eles partilharam de um momento incrível e rápido de profunda possibilidade, em algum lugar da Charlotte Street. E então, em um piscar de olhos, ela partiu deixando-o, acidentalmente, segurando sua câmera descartável, com o filme de fotos completo… E agora Jason — ex-prodessor, ex-namorado, escritor e herói relutante — se depara com um dilema. Deveria tentar seguir A Garota? E se ela for A garota? Mas aquilo significaria utilizar suas únicas pistas, que estão ainda intocáveis em seu poder… É engraçado como as coisas algumas situações se desenrolam…



Danny criou no seu mais novo livro, um personagem central, o qual mesmo descreve as cenas: Jason, que é "louco" (não louco, para internar no hospício), mas aquele louco que não sabe dizer chega, e partir par a próxima. Durante a metade do livro Jason fica enterrado no seu antigo relacionamento. Até mesmo após encontrar "o amor da sua vida". Jason durante o livro relata seus antigos problemas, e durante o decorrer das páginas vai procurando uma forma de resolve-los. O que é importante em uma leitura, aproximando assim o leitor os desejos do personagem.  

Até certo momento o livro foi um pouco cliché, por toda aquela coisa de amor a primeira vista, de não conseguir dormir direito, de ficar pensando na menina e tudo mais. Porém eu acho isso bem legal visto dos olhos de um homem, já que só temos as descrições, geralmente, por mulheres. Durante a narrativa é capaz de acompanhar o crescimento do personagem, pois ele é um cara de trinta anos, e digamos de passagem, que ele é bastante infantil, e tem sempre seu amigo para acompanha-lo durante toda a trama. É muito bom também ver vínculos de amizade tão forte entre o protagonista e seu melhor amigo, Dev e, junto dos dois, nos divertimos bastante.

Danny Wallace é o cara! Em Charlotte Street ele descreveu os fatos muito bem, deu um foque super legal na trama envolvida e na cidade de Londres, os lugares, a casa de Dev, e até mesmo as famosas cafeterias, fiquei com uma vontade enorme de me teletransportar para dentro do livro e viajar em Londres.


Apesar da leitura da Danny Wallace ser bem dinâmica, a certo ponto passou a ficar cansativo por motivo de o personagem pensar demais. Ele ficava páginas, e páginas descrevendo uma cena como ela poderia ser, e como ela seria. Creio eu que ele demorou demais para descrever as cenas, e também demorou para dar um fim à história, e quando final chegou não foi tudo o que eu pensava. Porém não me arrependo de ter lido o livro, adorei conhecer os personagens criado por Danny. 

O final, foi um pouco deduzível. Porém eu ainda colhi surpresas no fim da leitura. Vale a pena que vocês leiam, os pensamentos de Jason são engraçados, o livro é. E além de tudo o livro ensina que podemos superar algo, e simplesmente deixar para trás e seguir em frente.

 
home / sobre / leituras / blogroll / contato

a vida dentro © 2012 – 2020